quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Infinito

Infinito

Circulo... Entre os dias e noites que se calam, quando passo.
O vazio, às vezes, engole a alma... No entremeio da hora lenta... Pulsa o dia... Recolhe-se a noite... É o momento precoce que rompe com a escuridão.
São portas que se abrem, na vastidão do círculo... E eu? Circulo...
Nem rompantes de alegria, nem momentos de solidão... Dormência, eu diria... Demência, o outro dirá.
Mas, quem somos então? Em vastas exatidões... Quem arrisca ser total, sem , em partes, atribuir-me?... Ah! Iludir-se... Criar escolhas... Subir em crenças... Descer-te, em rio... Cascatas... Velocidade!... Calmaria... Águas claras... Resistências.
Circundar... Meio vagabundo, vaga-lume!
Que corra então! Vá pelos destinos que te abrigam... Vá! E eu? Circulo.
Entre matas, que se fecham... Num repente, o clarão! E a vida circula em doces sensações! Perfeição... Em asas da libélula, laço do escrito... Lasso no Infinito!

Publicado no recantodasletras dia 15/09/2008
Código do Texto: T1178645

5 comentários:

rascunhomusical disse...

...no círculo dos teus olhos circulo meu olhar,
como círculo da Terra quase toda coberta de mar,
marejam teus olhos postos a lacrimejar,
uma gota que entorna pra no canto dos lábios findar. rsrs

Nadia Rockenback disse...

Olá, Rascunho! Esse cantinho é pra isso mesmo... poesia, canto, sentimento. Vou puxar vc pra página, assim que eu descobrir como se faz isso... rsrsrs... Bjos

monica mosqueira disse...

olha olha..descobri como chegar aqui* agora não saio maisss*)seja bem vinda!!!

monica mosqueira disse...

nooooooooo gastei horas pra postar meu comentario*pq nunca lembro minha senha deste blog*/ libera depois pra aceitar comentarios de usuarios de outros blog please*rs
(precisei reativar blog,fazer senha nova e tudo! hehe)(isos que da ser fominha de paginas pessoais na net e ter algumas rs).

sementes diárias disse...

Lindo,Nadia! Circulamos, circulamos por meio de diferentes caminhos, mas no fim sempre haveremos de ver esse clarão! um beijo,chica